Quem acompanha o excelente caderno Divirta-se do Jornal Estado de Minas, pode conferir a nota em referência a estes que vos escrevem, da qual muito nos orgulhamos, afinal, o costelão no fogo de chão, que hoje temos em forma de hobby, mas também como meio de manter acesa uma chama da Tradição Gaúcha nas Alterosas é um dos mais concorridos eventos por onde passamos.


Estado de Minas

Eis a matéria na ìntegra:

“Com o fechamento do Centro de Tradições Gaúchas na capital mineira, os amigos Nereu Agnelo e Paulo César Feistauer resolveram continuar fazendo o típico churrasco de fogo de chão mesmo sem data e local fixos, atendendo eventos particulares – geralmente para um mínimo de 50 pessoas. Para servir as saborosas costelas de boi na hora do almoço, acendem o fogo ainda de madrugada, já que levam cerca de sete horas para chegar no ponto. “Quanto mais paciência, melhor fica”, afirma Nereu.”

Clique Aqui para acessar a Matéria no site do Estado De Minas.